About Me

My photo

Paulo José da Costa é livreiro e ex-funcionário do Banco do Brasil.   Considera-se um garimpador da memória, procurando nos sótãos e porões as fotos antigas, postais, cartas, diários com que alimenta sua paixão que tem foco no cotidiano.  Pesquisador de história da música e do cinema, postando raridades no youtube.  Mantém enorme acervo de cds, dvds, fitas, vinil, discos de rádio, 16 polegadas, 10 polegadas, compactos e o escambau. Ex-libris, filmes antigos, gravuras, affiches, cartas, jornais antigos, albuns de família, postais, a lista é grande. Sempre procurando mais. Tem quatro blogs e desenvolve projeto de livro sobre o cotidiano paranaense através das fotos de família entre 1870/1960. Mantém arquivo de memória paranaense e catarinense.

11 May 2014

A CARTA DE APRESENTAÇÃO DE JOÃO ZACO PARANÁ (1922)

      
autorizo a reprodução, mediante citação da origem.    

Interessante carta de apresentação  do escultor João Zaco Paraná ( 1884-1961) ao prefeito de Curitiba à época, Sr.João Moreira Garcez (1885-1957).   Jan Zak, polonês de nascimento, mas residente desde muito pequeno no interior do Paraná, teve notada a sua vocação para a escultura por uma família, que o adota e manda estudar em Curitiba. Posteriormente segue para a Bélgica com bolsa que lhe concedeu o governo do Estado do Paraná (belos tempos esses !) .  Jan Zak adota a cidadania brasileira em 1923, com o nome João Zaco Paraná, em homenagem sincera ao Estado que patrocinou seus estudos na Europa. Após estudos na Academia Real de Belas Artes da Bélgica e depois de viver dez anos em Paris, retorna ao Brasil em 1922. Esta carta é o documento de apresentação que ele carregou no bolso,  na viagem para o Paraná, vindo do Rio de Janeiro, onde aportara.   Segurando este papel ele procurou o prefeito João Moreira Garcez, um dos mais realizadores e competentes da história da nossa cidade.  Posso conjecturar que desse encontro possa ter nascido a ideia de se reunir com a colônia polonesa da cidade para encomendar a estátua "O Semeador", inaugurada em 15 de fevereiro de 1925 na praça Eufrásio Correia, onde se encontra até hoje.  
                                 A carta é rica em detalhes de como esse rico empreiteiro, Domingos de Souza Leite, diretor da conhecida Companhia Nacional de Construções Civis e Hidráulicas, que desde o império e por décadas a fio ajudou a construir obras pelo Brasil, conheceu o nosso Jan Zak . Fico feliz em trazer mais essa fonte primária para a história das artes paranaense e brasileira.    

                 Rio, 30 de outubro de 1922.      Meu caro Dr. Moreira Garcez, Saudações muito cordiais. O portador d'esta é um nosso compatriota e seu co-estaduano.  É muito provável que o amigo não o conheça de vista, mas certamente o seu nome não lhe é desconhecido, pois que pelo seu merecimento, há algum tempo já adquiriu certa notoriedade.   É o esculptor João Zak Paraná.  



                             Conheci-o desde mocinho, estudante de humanidades, quando veio do Paraná para matricular-se na Escola de Bellas Artes d'aqui. N'essa occasião, meu pai interessou-se pelo seu talento nascente e d'ahi a camaradagem que ainda hoje nos une. Depois, embora de longe, segui sempre o seu brilhante curso na Belgica, para onde fora, ajudado pela generosa pensão que lhe dava o seu Estado natal, do qual elle conservou sempre a mais sincera saudade e gratidão, a ponto de tomar-lhe o nome.  

                   
       O nosso jovem compatriota trabalhou na nossa Exposição, e vai ao Paraná em visita a sua familia, que não vê há longos annos. Aproveito a opportunidade para apresental-o ao governador da linda Capital Paranaense. Elle muito terá a lucrar com a sua estima e amizade e penso que o amigo não se arrependerá em conversar com elle sobre assumptos que digam respeito ao embellezamento da sua cidade.  O Zak Paraná, além de ser paranaense, é artista de verdade. Sempre seu, Domingos de Souza Leite.   



João Zaco Paraná (à  esquerda) e João Turin, em Paris. Os dois dividiram um apartamento por alguns anos na cidade-luz. (acervo Cid Destefani - Gazeta do Povo - encontrado na Net)  


"Amor materno", de João Zaco Paraná, cópia inaugurada em 1993, original de 1907 (foto encontrada na internet, sem autoria definida)




" O semeador", de João Zaco Paraná, inaugurada em 1925, Curitiba (foto encontrada na internet, sem autoria definida).
Paulo José da Costa
compra e recebe doações de acervos de postais e fotos antigas, inclusive álbuns de família
para arquivo particular
Proteja a memória, ensine as crianças a amar as fotografias. 
41 88050624
paulodafigaro@hotmail.com
https://www.facebook.com/paulojose.dacosta

No comments:

Post a Comment

seu comentário está em análise. Em breve será postado.