About Me

My photo

Paulo José da Costa é livreiro e ex-funcionário do Banco do Brasil.   Considera-se um garimpador da memória, procurando nos sótãos e porões as fotos antigas, postais, cartas, diários com que alimenta sua paixão que tem foco no cotidiano.  Pesquisador de história da música e do cinema, postando raridades no youtube.  Mantém enorme acervo de cds, dvds, fitas, vinil, discos de rádio, 16 polegadas, 10 polegadas, compactos e o escambau. Ex-libris, filmes antigos, gravuras, affiches, cartas, jornais antigos, albuns de família, postais, a lista é grande. Sempre procurando mais. Tem quatro blogs e desenvolve projeto de livro sobre o cotidiano paranaense através das fotos de família entre 1870/1960. Mantém arquivo de memória paranaense e catarinense.

25 December 2015

LWÓW - LEMBERG - LVOV - aliás LVIV EM ÁLBUM HISTÓRICO DE 1936

         
               No período de 1919 a 1939, a cidade de Lwów fez parte da nascente República Polonesa, que morreria logo em seguida invadida pelos russos de um lado e pelos alemães de outro. Mas muito antes disso, Lwow, já era polonesa, fundada no século XIII.  Em 1772 tornou-se parte do império austríaco, com o nome de Lemberg,mas com intensa vida cultural polonesa. Ela  só voltou a ser administrativamente polaca  no final da primeira guerra, em 1919. Esse álbum precioso, dedicado ao nosso governador Manoel Ribas, foi trazido ao Paraná em 1936 por um punhado de representantes poloneses, num gesto de aproximação comercial e cultural com nosso Estado.  Jamais poderiam imaginar os membros daquela delegação de altos dignitários da pátria polonesa que seu país deixaria de existir três anos depois da entrega desse álbum à nossa autoridade maior. E mais, que passados os duros seis anos do conflito, onde os alemães tomariam Lwow dos russos, esses a tomariam de volta e a entregariam aos ucranianos, como parte da República Socialista Soviética da Ucrânia...  Toda a população polaca foi tirada à força dos seus lares e mandada para a cidade alemã de Wroclaw (Breslau). No período dessas guerras todas, a população judaica foi exterminada. Cidade de muitos ódios, entre ucranianos, poloneses, judeus, alemães, russos... a capital da Galícia teve entretanto a sorte de escapar quase incólume às destruições de bombardeios e batalhar, um verdadeiro milagre.  Hoje, Lviv, cidade ucraniana, é tombada pelo patrimônio histórico da Unesco.   Essas fotografias, que encontrei numa residência curitibana, são um retrato da cidade polonesa de 1936.      






























































































































1 comment:

  1. Estive por 3 dias em Lviv, por conta de contatos com a academia, buscando possibilidades de intercâmbio com universidades e instituições de pesquisa do PR, em 2002. É uma linda cidade e seus moradores lembram muito os imigrantes ucranianos e seus descendentes que vivem em nosso Estado. Fotos antigas, mas bonitas!

    ReplyDelete

seu comentário está em análise. Em breve será postado.